7 de nov de 2009

Sou mulher e garota de programa!

Bom dia meninas...
O tema de hoje é: Garota de Programa. Quando comecei a pensar e trabalhar sobre ele, achei que seria algo muito amplo, que me daria várias brechas: Eu poderia falar da exploração sexual contra mulheres, da prostituição no país e do crescente aliciamento de menores, ou sobre o preconceito, talvez sobre prevenção contra DST’S, enfim as opções eram múltiplas.

Entretanto optei em mostrar a mulher que existe em uma Garota de Programa e depois que entrevistei minha convidada, não tive dúvidas de que era sobre isto que iria falar.



A nossa coluna hoje trás a Vida Real de Lorena Lima, encontrei-a através de um blog, entrei em contato e ela prontamente concordou em colaborar desde que seu anonimato fosse preservado.

Lorena, que é o seu nome de trabalho, é carioca e mora no Rio de Janeiro, tem 24 anos, possui o ensino médio completo, e atualmente cursa o Técnico em Estética e também faz cursos de informática. Tem dois filhos, o mais velho mora com sua mãe e o menor, de um ano e meio, mora com ela.
Ela conta que trabalha como Garota de Programa há um ano, entretanto esta não é a primeira vez que está neste trabalho. Tempos atrás já trabalhou como Garota de Programa, mas desistiu da profissão porque se casou e teve filhos. Depois se separou, e como estava desempregada e não conseguia emprego, foi o que a motivou a voltar a este trabalho, pois tinha filhos para sustentar, contas a pagar e não achava outra solução. Lorena também já teve outras profissões, já trabalhou como secretária e promotora de vendas, entretanto diz que como Garota de Programa o retorno financeiro é maior, o que não significa que é fácil.
Atualmente trabalha autônoma, sem contrato com nenhuma agência, o valor do seu cachê é em torno de R$ 120,00 a R$ 170,00 a hora, ela diz não cobrar barato, mas não é nada absurdo, e ainda consegue se manter e aos filhos também, pagar as contas em dia e ainda poupar. Diz que ainda não teve uma grande aquisição material, justamente pelo fato de estar poupando. Também consegue custear o seu curso técnico, que era um sonho, pois quer se profissionalizar na área estética.
Ela diz que atende apenas em alguns bairros, e somente em motéis e hotéis, e não faz atendimentos em residências. A procura pelos seus serviços é diária e que tem alguns clientes exclusivos, diz que tem sorte, pois sua clientela é educada e nunca enfrentou nenhuma situação de perigo, diz também que prefere ter uma clientela de qualidade a numerosa.
Entre seus atendimentos uma situação engraçada pela qual passou, foi logo no seu retorno à profissão. Saiu com um cliente que não tinha carro e precisaram ir a pé até o motel. Quando chegaram lá ela desconfiou que o cliente era gay, e além de tudo tímido, pois tinha vergonha de falar isto pra ela e de dizer o que queria, aí começou a conversar por mímicas. E pra terminar o programa com chave de ouro, na saída pegaram um ônibus errado, e foram parar em um bairro muito distante e que não conheciam.
Mas nem tudo é engraçado, Lorena diz que tem consciência que sua profissão não é uma das melhores, mas também não acredita que seja a pior. Além da parte financeira, ela pode conhecer outras pessoas e lugares legais, diz também que o momento que se sente melhor é quando atende a um determinado cliente, pois este é especial, é uma pessoa sensacional, atenciosa, o que faz que ela tenha um enorme carinho por ele. Mas também diz que em alguns momentos sente-se mal, pois quando está em casa, pensa nos filhos, que gostaria de estar trabalhando em outra coisa, e principalmente por ter que mentir para as pessoas que ama, pois quase ninguém sabe da sua profissão.
Na família a única pessoa que sabe do seu trabalho é sua mãe, além dela alguns poucos amigos íntimos, e diz que estes não interferem na sua opção, pois cada um tem seu direito de escolha. Lorena tem um namorado, e fala que ele sabe do seu trabalho e não sente ciúmes, pois entende que é apenas um trabalho. Fala que às vezes consegue sentir prazer em seus atendimentos, mas que não é sempre porque ninguém é de ferro. Diz também nunca se envolveu amorosamente com nenhum cliente, mas que já teve uma grande amizade com um deles.
O maior sonho de Lorena é terminar seus cursos, profissionalizar-se e trabalhar. Diz que pretende sair o quanto antes da atual profissão, pois apesar de parecer um trabalho fácil, não é. Quer ser feliz e ter saúde, pois é disto que precisa para construir e correr atrás dos outros sonhos. Sabe que muitas meninas pensam em trabalhar como Garota de Programa, achando que terão uma vida fácil, mas diz que não acha nada fácil ir pra cama com uma pessoa desconhecida. O dinheiro pode ser rápido e fácil, mas o trabalho não. Ainda ressalta que ninguém ache que em dois meses de trabalho ficará rica, porque não é o que acontece. Para as que já trabalham nesta profissão Lorena fala que não se deixem abater, pois sabe que é um trabalho complicado e mexe com vários sentimentos, mas que você precisa ter muita cabeça e foco em que se deseja conquistar, que geralmente é algo material ou financeiro, e quando conseguir realizar aconselha parar, pois não aconselha a ficar nesta profissão pra sempre, pois não é o que quer pra si. Fala para valorizarem-se, tendo muito cuidado e responsabilidade, e claro, usando camisinha sempre.
Ela diz nunca ter sido vítima de preconceito pelo fato da profissão, pois tem todo cuidado para manter seu trabalho em sigilo, mas ainda assim deixa um recado: que as pessoas pensem muito bem antes de apontar o dedo para alguém que elas não conhecem, pensem antes de julgar uma pessoa, pelo seu trabalho, pela sua roupa, pela sua cor, pois as pessoas podem julgar, mas também devem lembrar que nunca estarão livres de julgamentos. Aconselha que realmente conheçam as outras pessoas para depois tirar suas conclusões e acredita que o mundo seria um pouco melhor se houvesse menos hipocrisia.

E este foi nosso relato, fiquei muito satisfeita, pois consegui ver uma mulher na Lorena além de uma Garota de Programa, e é o que espero transmitir para vocês. Vi uma mulher que cuida da casa e a mantém sozinha, cuida dos filhos, estuda, namora, se diverte, tem amigas, tem medos e sonhos, e trabalha, e sim tem uma profissão: Garota de Programa.
Eu creio ser uma pessoa livre de muitos preconceitos, tanto pela minha profissão quanto pelas coisas que acredito e defendo. Sempre penso que o melhor é conhecer a situação para depois poder formar uma opinião, e que nem sempre ela será a correta e com certeza não será a única. Dos preconceitos que ainda tenho busco me libertar, não significa que concordo com tudo, mas não me permito me sentir melhor ou superior porque minhas escolhas são diferentes das dos outros. Todos têm direitos, e é nisto que acredito e para isto que trabalho: pela defesa destes.


Agradeço à Lorena pela simpatia com que me atendeu e pela liberdade em entrar na sua vida... Ela me disse que ficava feliz pela matéria, pois acreditava que esta ajudaria a quebrar alguns preconceitos... Eu lhe digo Lorena que a felicidade é minha também, e que você foi quem muito colaborou muito com isto.

E se você viveu ou conhece uma história bonita e quer compartilhar conosco mande-nos um emila para: vidarealcolcha@hotmail.com , ficaremos imensamente gratas com sua contribuição.

Um grande abraço...


Carinho...








(Imagem ilustrativa, fonte: Google)

21 Comentários:

nari kusdra disse...

q boa a matéria da entrevista!
Q orgulho da minha irmã!!

Muriele Binow disse...

Uma otima materia, um dia fiz um trabalho sobre a prostituição e além 10 ale´m disso foi para uma exposição, bjos e bom final de semana!

Mayra disse...

Rô Belíssimo trabalho.. a entrevista foi perfeita..
RÔ ARRAZOU...

BJSS

Bia disse...

Parabéns pela matéria! Mto bom mostrar para as pessoas o outro lado da vida, pois nem tudo é o que parece ser...A vida não é nada fácil para quem precisa sustentar filhos sozinha.
Parabéns...
Bia.

* Mi¢hєℓє* disse...

Parabéns Rô...
Julgar é fácil. Ajudar, compreender e valorizar as pessoas é que pra mtos é difícil...
Com certeza a Lorena será mto feliz..ela tem seus objetivos e não se entregou a essa situação difícil pela qual passa..

bjinhoss

Noiva Nani disse...

Sem duvidas uma otima materia..
Essa realidade é mto triste..
Tem coisas que somos obrigados a fazer por nossos filhos..por amor a eles..
Mas tem mta gente que nao entende e acha que só se faz isso por vontade mesmo..
Mas nem gosto de imaginar essas coisas pq e realmente mto triste!!

Nine disse...

oi queridaaaa...
Adorei a matéria viu???
É sempre bom conhecermos um pedacinho da vida das pessoas...
Realmente preconceito não está com nada, ninguem é melhor que ninguém, por isso espero que o desejo da Lorena se realize e ela consiga um emprego na área que gosta (estética) e possa viver feliz com seus filhos.
Um grande abraço querida e até a próxima.

Vinicius disse...

Rô,

- Eu acredito que o seu intento foi perfeitamente alcançado e com louvor
;parabéns pela matéria.

Abraço.

Anônimo disse...

Parabéns pela matéria !!!!!!!

Sensacional !!!

Acima de qualquer garota de programa existe uma mulher que deve ser respeitada.

Adoro este blog !!!!

Juh** disse...

Amei a matéria Rô, ta super bem escrita! Acho importante o outro lado de tudo ser mostrado, pois é facil julgarmos e acharmos um absurdo garotas de programa, mas quem conhece cada história pessoal? O porque de ela estarem nesta profissão, creio que essa nem sempre é a prmeira opção dessas garotas, mas a vida acaba as levando pra isso, por amor aos filhos, e a necessidade de dar um bem estar a eles e a fanilia.
Que a Lorena consiga realizar seus sonhos e se tornar uma técnica em estética muito conceituada!
Bjus

Simpatiquinha e Simpatiquinho disse...

Ótima matéria!!

Você conseguiu fazê-la sem preconceitos!!

Uma mulher guerreira! Tomara que ela consiga alcançar seus objetivos o quanto antes!!

Parabéns, Rô!

Fatinha disse...

Otimaaaaaaaa!!!
Ficou muito boa a materia Ro, como sempre vc arrasou...
Parabens!!!
bjao

Noivinha Alice Curcio disse...

Ai Rô, eu a.m.e.i, até pq nós temos o grande defeito de julgar as pessoas sem se preocupar com suas motivações, tampouco que independente da profissão, ela é tão humana quanto nós!

Bjks

Sueli Oliveira disse...

Ótima matéria!!!
Parabéns pelo blog
Tem selinho pra vc lá no meu blog, bjos

Carol disse...

Ro...materia mto boa!!
realmente o preconceito e grande, mas as pessoas deverima realmente conhecer um pouco mais para naum julgar.

Lorena...que vc possa realizar os seus sonhos e criar os seus filhos com toda dignidade...
felicidades..

bjus

Marta disse...

Muito legal a matéria e a possibilidade de entrevistar alguém que vive essa realidade.
Beijocas

Simplesmente Rê disse...

Adorei a entrevista.
Cada um escolhe pra sí o que acha que deve escolher...

Bjocas,

Gabi Rosaneli disse...

Muito interessante o post, parabéns.

Tati disse...

Adorei Rô !! Otima entrevista, vc passou bem a dificuldade e a força da mulher Lorena.

Adoreiii !!!

Parabens viu ?! Ai q orgulho participar dessa colcha ...

Um beijoo

acompanhanteshotsex disse...

nossa ficou mto linda msm a materia , gostei msm agradeço a Rô a me da esse espaço de falar um pouco sobre a nossa profissão e tbm quero agradecer a todos q deixaram palavras de incentivo obrigada e q deus abencoi cada um de vcs
e a vc Rô q sua vida sempre seja feita de realizações

Tata disse...

Ótima matéria... Agora, orar para q ela consiga terminar logo seu curso e seguir a área q ela quer com certeza irá edificá-las ainda mais, como mulher, mãe, amiga, filha....

Loading...
 

©2009 Colcha de Retalhos | by TNB |Costumizado por Rô Kusdra | Identidade VisualTati no Jardim