12 de dez de 2009

Uma difícil decisão...

(fonte da imagem:gettyimages)

Hoje a coluna Vida Real conta a triste história de uma mãe que teve uma difícil decisão a tomar...

Morando em Mato Grosso e com um filho pequeno de 1 ano e 6 meses de idade, junto com sua família enfrentou grandes dificuldades naquela cidade.

Um dia pela manhã, Dona L. quando levava seu filho ao banheiro como fazia todos os dias,percebeu que ele estava com febre muito alta e que já perdera os movimentos das pernas, não conseguindo se manter em pé.

"Dei um banho e uma medicação para a febre e corremos para o hospital".

Ao chegar ao hospital , a primeira suspeita foi de malária, onde realizaram o primeiro exame que demorou em média 3 horas para ficar pronto.

As 12:30hrs chega o resultado: Negativo!!!

A essa altura a criança já começa a delirar devido a febre muito alta e o médico foi chamado para dar medicação, mas logo após a criança entrou em coma.

As 14:30hrs, começaram as convulsões e foi colhido o liquor da medula devido a suspeita de meningite e meia hora depois vem o resultado:

POSITIVO!!!Meningite Meningocócica com nível de infecção alarmante.

As 16:00hrs a equipe médica chama a mãe para passar o diagnóstico e incumbi-la de tomar uma difícil decisão...

Segundo a equipe médica, as chances de sobrevivência eram mínimas mas que a criança poderia ter uma chance, porém nunca mais seria uma criança normal, condenado a viver em estado vegetativo.Para tanto o hospital ofereceu transporte para levar a criança até São Paulo onde buscariam tratamento.

A mãe inconformada, questiona os médicos quanto as chances de recuperação de seu filho, mas não recebe nenhuma resposta positiva e nem garantias de que resistiria a viagem.

A mãe tem nas mãos duas alternativas e nenhuma delas promissoras e questiona-se se teria o direito de condenar a criança a viver a vida em estado vegetativo?

A mesma decidiu então por não levar seu filho a São Paulo chamando a equipe médica e comunicando sua decisão, solicitando apenas que não o deixasse sentir dor até o momento final, o qual ocorreu as 17:00hrs do mesmo dia.O que mostra que mesmo que tentassem levá-lo, ele não resistiria.

"A dor é inexplicável..."

"Apesar de ser meu único filho na época, não via e não vejo outra decisão que pudesse ter tomado".

Até hoje após 30 anos e com outros filhos essa mãe sofre com a perda de seu primeiro filho, datas importantes como seu aniverssário e dia de seu falecimento são sempre lembrados e são dias em que ela fica muito deprimida...
Enfim, para quem é mãe pode imaginar a difícil tarefa que essa mãe teve nas mãos e a dor que ela sentiu naquele momento e como deve ser, viver com a perda de alguém que é tão especial em nossas vidas...

E essa é mais uma história real de pessoas reais que trazemos para vocês leitoras do Colcha de Retalhos, para que possamos meditar e ver que todos temos nossas histórias de lutas e superações e que Deus não nos dá cruz maior do que nossas forças para carregá-la...

Se você também tem uma história de vida emocionante, engraçada ou curiosa e queira compartilhá-la com a gente, mande um email para vidarealcolcha@hotmail.com que teremos o prazer de ler e quem sabe sua história pode ser escolhida para ser publicada aqui em nossa coluna Vida Real...

Aproveito para desejar a todas um ótimo domingo e uma linda semana.

Até a próxima...
NINE
PS:Para quem quiser saber mais sobre a doença Meningite é só clicar aqui

12 Comentários:

Marta disse...

Realmente deve ser uma decisão difícil.. espero nunca passar por um momento desses!
Beijocas

Juh** disse...

Não tem nem como imaginar o que é essa mãe sentiu! Que Deus não me permita passar por situação parecida!
bjus

Tata disse...

Cheguei a chorar..... Nossa só de pensar me dá uma angústia muito grande..pois qdo minha pqna está com uma simples infecção na garganta já fico doida... imagino a dor dessa mãe... ou dessas mães q passam por esses momentos tão dolorosos....

Nana disse...

Nine, que post lindo amiga... fiquei com o coração partido, não saberia qual decisão tomar...

beijos

Noiva Nani disse...

Sem duvida deve ser ainda muito dificil.. tudo que fazemos pelos nossos filhos ainda é pouco pq se algo da errado, nao importa de quem e a culpa.. nos sempre nos sentimos culpadas...

Carol disse...

Nossa...que história!
Qm é mãe entaum...sente mais ainda!
Mto difícil a decisão dela!! que complicado!!

Bjão

Tati disse...

Nossa madinha ... q historia, minha irmã mais velha tb morreu por infecção hospitalar com apenas 6 meses .. minha mae se sentiu culpada por muito anos, até q me deve ...

Um beijoooooooooooooooo

Parabens miga !!

disse...

Que história triste madrinha, muito forte, com certeza esta mãe sentiu uma dor inexplicável!
Bjos!

Tatá Borges disse...

Oi meninas... .. puxa que história né? ! ..

Alguem ai pode me dizer como eu faço com o premio da promoçao...???? enviei o email semana passada e nada de resposta.. será que enviei certo ?? bju

Gleicy disse...

Nossa gente, que história triste... Acho que isso é algo que uma mãe não merece passar!

Beijos

Than disse...

Como assim???
Eu tinha comentado ontem ja...
E kd meu coment?????

Bom amiga, realmente essa historia é muito triste. Deve doer horrores pra uma mãe a perda de um filho dessa forma.
Nao consigo nem imaginar! Nem quero.

Beijos

Gabi Rosaneli disse...

Gente, que história...
Mas acho que teria feito a mesma coisa, tentar salvar do que ficar esperando ver o que aconteceria...
Bjs

Loading...
 

©2009 Colcha de Retalhos | by TNB |Costumizado por Rô Kusdra | Identidade VisualTati no Jardim