20 de dez de 2009

O que eu não desejo a vocês.

Bom Dia meninas...

Acompanhando a televisão, tenho visto que falar de superação está na moda. Claro que a Globo mais do que nunca vai falar disto, pois sua novela das oito tem justamente um de seus focos numa história destas, desta forma tem explorado muito o tema, o Globo Repórter mesmo trouxe mais algumas histórias destas na sua última edição.

Mas deixando de lado toda a mídia e intenções, ainda sem esquecer do discurso de ideológico que existe por trás disto, tenho prestado muita atenção nestas histórias, sendo no final da novela (diga-se de passagem, que os depoimentos estão sendo bem mais interessantes que a novela toda), e principalmente porque tenho me envolvido com histórias assim pelo fato de escrever na nossa humilde coluna Vida Real.

Disto tudo, uma coisa tem martelado na minha cabeça: Porque as pessoas precisam passar por uma situação tão difícil, por tanta dor, por grandes perdas, pra então valorizar o que antes tinham, mas não davam tanta importância? Somos seres inexplicáveis mesmo, só vamos ver o que tínhamos e o real significado das coisas quando corremos o risco de não mais tê-las ou então quando as perdemos definitivamente. Não seria mais interessante viver, valorizar e aproveitar o máximo as pessoas e as oportunidades enquanto elas estão aqui perto, estão ao nosso alcance? Não seria mais inteligente não precisarmos sofrer pra então entender a grandeza das coisas que temos ou tínhamos?

Pergunto isto porque realmente é algo que tenho questionado, e mais, tenho me questionado também. Além de todo este contato, também tenho vivenciado isto. Passei por uma situação muito difícil ano passado, a qual nunca imaginei pra mim nem pra ninguém. E isto está presente ainda na minha vida até os dias de hoje e ainda não sei quando terminará definitivamente. Pra resumir rapidamente e não ficar falando nas entrelinhas, nem sendo injusta com quem não acompanha meu blog pessoal, sofri um grave acidente de trânsito em setembro de 2008, onde quase perdi minha perna esquerda, o que graças a Deus não aconteceu. Passei por 2 cirurgias e até hoje estou em tratamento.
Nunca fui uma pesssoa rebelde, nunca usei drogas, nem nunca tive uma grande problema de relacionamento que veio a ser superado com esta experiência. Entretanto, tenho aprendido e muito com tudo isto, e visto tanta coisa que eu não valorizava quando podia andar normalmente e fazer o que quisesse sem precisar de ajuda das pessoas pra tudo. A falta das coisas pequenas, de poder fazer uma caminhada que antes eu morria de preguiça, de levantar cedo e ir ao trabalho, de poder andar e carregar alguma coisa ao mesmo tempo. Como disse não tive mudanças bombásticas, mas com certeza não sou mais igual ao que era antes.

Hoje agradeço a Deus pela oportunidade de permanecer com minha perna no lugar, ainda que tudo isto seja um processo lento, mas é certo que prefiro assim. Agradeço o amor e o cuidado que tenho recebido da minha família, do meu noivo, dos meus amigos, e até de pessoas não tão próximas, e reconheço o quão fundamental isto é na minha vida. E espero ansiosamente por todas as coisas tão banais e mecânicas que podia fazer e hoje são coisas a serem superadas.

Mas porque falo de tudo isto? Porque hoje é meu último post do ano, e gostaria de compartilhar a minha vida real com vocês. Não estou me dando como exemplo, nem me valorizando, nem nada disso, sei que o que vivo é tão pequeno perto de tantas outras histórias, mas com tudo isto quero dizer a vocês que desejo que vocês tenham um Novo Ano lindo, cercado de coisas pequenas e maravilhosas, com muito amor e muita saúde, mas principalmente quero dizer o que eu não desejo a vocês:

"Que ninguém precise passar por uma perda, por grande dor, nem por uma lição alguma para valorizarem o que tem. Que vocês agradeçam pelo seu corpo saudável, pelas suas rotinas chatas e cansativas, pelas suas tarefas domésticas, pelos seus momentos de lazer e pelos dias chatos de chuva. Que vocês valorizem as pessoas que vocês têm e que lhe importam, e também aquelas que vocês achas que nunca vai precisar e não fazem diferença na sua vida. Que as mágoas não permaneçam no seu coração e que vocês liberem perdão, mas também se arrependam e o peçam. Que vocês reconheça o amor de Deus em tudo que lhes acontece, e desejo que tudo isto aconteça sem  precisarem viver nenhuma história de superação".




Agradeço a todas vocês por estes momentos divididos conosco, obrigada por estarem sempre aqui.


Um Feliz Natal e um abençoado Ano Novo.
Espero vocês em 2010!


Com carinho,

(Fonte imagem: Gettyimages)


5 Comentários:

Thais disse...

Rô,adorei seu post,uma ótima reflexão para este novo ano,e quero lhe desejar tudo que nos oferece em dobro,mil beijos


Um Feliz Natal e um abençoado Ano Novo com muita paz e amor!

Dina disse...

pOST LINDO, ADOREI RÔ
BJS

Sueli Oliveira disse...

Lindo post, feliz natal e um maravilhoso!!!

Juh** disse...

Amei o post Rô, realmente faz a gente refletir, e analisar as coisas. Também estou sem poder andar e tal, (mas nada grave como vc) E só depois de passar por isso que dei valor a pequenas coisas, como ir ao trabalho andando etc.
Obrigada por estar nessa Colcha, e trazer palavras tão bonitas para nós.
Sigo fã!
Feliz Natal pra vc!
bjocas

Fatinha disse...

Post lindo amiga!!!
e vc é sim um grande exemplo!!!
adoro vc!
bjus

Loading...
 

©2009 Colcha de Retalhos | by TNB |Costumizado por Rô Kusdra | Identidade VisualTati no Jardim