18 de jan de 2011

Você é mulher?!?! Então tome cuidado!

Bom dia, meninas!

Hoje vamos falar sobre uma doença que provavelmente é a mais temida entre as mulheres, devido à sua alta freqüência e sobretudo pelos seus efeitos psicológicos, que afetam a percepção da sexualidade e a própria imagem pessoal. Ela é relativamente raro antes dos 35 anos de idade, mas acima desta faixa etária sua incidência cresce rápida e progressivamente.

Estamos falando do câncer de mama.



Este tipo de câncer representa nos países ocidentais uma das principais causas de morte em mulheres. As estatísticas indicam o aumento de sua freqüência tantos nos países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nas décadas de 60 e 70 registrou-se um aumento de 10 vezes nas taxas de incidência ajustadas por idade nos Registros de Câncer de Base Populacional de diversos continentes.
No Brasil, o câncer de mama é o que mais causa mortes entre as mulheres.


SINTOMAS:
Os sintomas do câncer de mama palpável são o nódulo ou tumor no seio, acompanhado ou não de dor mamária. Podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações ou um aspecto semelhante a casca de uma laranja. Podem também surgir nódulos palpáveis na axila.

FATORES DE RISCO:
História familiar é um importante fator de risco para o câncer de mama, especialmente se um ou mais parentes de primeiro grau (mãe ou irmã) foram acometidas antes dos 50 anos de idade. Entretanto, o câncer de mama de caráter familiar corresponde a aproximadamente 10% do total de casos de cânceres de mama. A idade constitui um outro importante fator de risco, havendo um aumento rápido da incidência com o aumento da idade. A menarca precoce (idade da primeira menstruação), a menopausa tardia (após os 50 anos de idade), a ocorrência da primeira gravidez após os 30 anos e a nuliparidade (não ter tido filhos), constituem também fatores de risco para o câncer de mama.

Ainda é controvertida a associação do uso de contraceptivos orais com o aumento do risco para o câncer de mama, apontando para certos subgrupos de mulheres como as que usaram contraceptivos orais de dosagens elevadas de estrogênio, as que fizeram uso da medicação por longo período e as que usaram anticoncepcional em idade precoce, antes da primeira gravidez.

A ingestão regular de álcool, mesmo que em quantidade moderada, é identificada como fator de risco para o câncer de mama, assim como a exposição a radiações ionizantes em idade inferior a 35 anos.




DETECÇÃO PRECOCE:
As formas mais eficazes para detecção precoce do câncer de mama são o exame clínico da mama e a mamografia.
Existe também o auto- exame das mamas ( me surpreendi quado lí) porém olhem o que dizem os especialistas: O INCA não estimula o auto-exame das mamas como estratégia isolada de detecção precoce do câncer de mama. A recomendação é que o exame das mamas pela própria mulher faça parte das ações de educação para a saúde que contemplem o conhecimento do próprio corpo.
As evidências científicas sugerem que o auto-exame das mamas não é eficiente para o rastreamento e não contribui para a redução da mortalidade por câncer de mama. Além disso, o auto-exame das mamas traz consigo conseqüências negativas, como aumento do número de biópsias de lesões benignas, falsa sensação de segurança nos exames falsamente negativos e impacto psicológico negativo nos exames falsamente positivos.
Portanto, o exame das mamas realizado pela própria mulher não substitui o exame físico realizado por profissional de saúde (médico ou enfermeiro) qualificado para essa atividade.

Bem, sabemos que não substitui, porém mal também não deve fazer né? Afinal qualquer mudança no nosso corpo iremos notar.
Por isso vamos continuar a fazendo, e seguindo essas dicas:
1) Comece, em pé, em frente ao espelho, observando o bico dos seios e a aréola. Verifique se existe alguma retração ou alguma alteração na coloração da pele, da superfície ou do contorno da mama.

2) Em frente ao espelho, levante os braços. Veja se aparece alguma retração na pele da mama ou do mamilo.

3) Deite e coloque um travesseiro sob seu ombro direito. Coloque seu braço direito atrás da cabeça e, com a mão esquerda, apalpe a mama direita.

4) Em movimentos circulares suaves, aperte levemente, com as pontas dos 3 dedos médios, juntos, toda a mama, para sentir se existem nódulos ou endurecimentos

Repita os movimentos com a mão direita, apalpando a mama esquerda.

Uma vez por mês esse exame também pode ser realizado no banho, visto que as mãos ensaboadas deslizam na pele molhada e isso ajuda deixando mais fácil o reconhecimento de alguma alteração. A mulher deverá procurar um médico se encontrar um nódulo ou se notar alguma diferença.

Saiba que é fundamental fazer uma consulta anual com um profissional da saúde para a palpação das mamas desde os 15 anos, e dos 40 anos em diante, o exame da mamografia deve ser anual, ou com o período reduzido de acordo com a orientação do seu médico.

Agora só depende de nós não deixarmos esses números aumentar!
Todas ligadas!

Beijos..

Nat e Nita





Fontes:
http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.ruadireita.com/info/img/como-cuidar-dos-seios
http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=336
http://www.mundodastribos.com/como-fazer-o-auto-exame-das-mamas-importancia-do-auto-exame-das-mamas.html

2 Comentários:

Madame disse...

Fazer acompanhamento com ginicologista é a melhor coisa, fazer os exames anuais...a gente tem que se cuidar e muito!

bju

Sac do Amor disse...

Prevencao é tudo mulherada, bora de cuidar!!!

Loading...
 

©2009 Colcha de Retalhos | by TNB |Costumizado por Rô Kusdra | Identidade VisualTati no Jardim